Que “mancha” é essa que aparece nas costas e no bumbum dos bebês?

Que “mancha” é essa que aparece nas costas e no bumbum dos bebês?

.. comentário


A mancha de nascimento conhecida coloquialmente como “mancha mongólica” é aquela que geralmente aparece em muitos recém-nascidos na região das nádegas e nas costas. Esta mancha tem o nome de melanocitose dérmica congênita e geralmente aparece no momento do nascimento ou durante as primeiras semanas de vida. Geralmente aumenta em tamanho nos dois primeiros anos e depois desaparece gradualmente. Aos 10 anos, a mancha já não está presente, mas se ela permanecer na idade adulta, se denomina como persistente.

Que “mancha” é essa que aparece nas costas e no bumbum dos bebês?

Como e por que surge?

A mancha tem uma incidência semelhante em ambos os sexos, mas varia entre diferentes grupos raciais. São muito comuns nas crianças asiáticas (por isso o seu nome coloquial) 90% dos recém-nascidos a têm e nas populações de raça negra está presente em cerca de 80% dos bebês, já nos caucasianos é pouco comum (menos de 10%).

Segundo o médico José Luiz Setúbal, em entrevista à Empresa Brasil de Comunicação, devido à grande miscigenação que existe entre 40% e 80%, dependendo da região.

As manchas mongólicas aparecem no nascimento ou nas primeiras semanas de vida. Geralmente, também desaparecem no primeiro ano de vida, mas podem persistir até a adolescência, embora seja raro que permaneçam em crianças em idade escolar. Mesmo sendo muito visíveis, não há um tratamento recomendado.
Que “mancha” é essa que aparece nas costas e no bumbum dos bebês?
As manchas são produzidas por um acúmulo de melanócitos presentes nas camadas profundas da pele (os melanócitos são células de pigmento que dão cor à pele). Portanto, as manchas mongólicas não são cancerígenas e não estão associadas a nenhuma doença. Sua localização clássica é na região lombar e nas nádegas, mas essas marcas também podem cobrir uma grande área das costas.

Não são necessários exames para identificá-la: o médico pode diagnosticar esta condição ao examinar a pele. Como não há risco ou uma associação com outra doença, nenhum tratamento é necessário, uma vez que são consideradas marcas de nascença normais.