Eclâmpsia na gravidez: sintomas e riscos

Eclâmpsia na gravidez: sintomas e riscos

.. comentário


A hipertensão é um sintoma muito comum em mulheres grávidas. Na verdade, cerca de 10% das mulheres sofrem de pressão alta durante a gravidez, o que em casos muito específicos, pode levar à eclâmpsia, uma situação grave. Entenda mais sobre a eclâmpsia na gravidez: sintomas e riscos.

O que é eclâmpsia

A eclâmpsia é uma complicação muito grave da pré-eclâmpsia ou hipertensão, persistente após as 20 semanas de gravidez. A eclâmpsia é pouco comum em países desenvolvidos e a taxa de mortalidade é seis vezes maior nos países em desenvolvimento.

Eclâmpsia na gravidez: sintomas e riscos

A pré-eclâmpsia ocorre em 2-10% das gravidezes e é um precursor da eclâmpsia. A pré-eclâmpsia é diagnosticada quando surgem repetidamente sintomas como a pressão arterial elevada, com frequência, acompanhada de dor de cabeça, dor abdominal, náuseas, vômitos ou sensibilidade excessiva à luz, entre outros, a partir da semana 20 da gravidez.

A pré-eclâmpsia é a principal causa de mortalidade materna, assim como a causa de 20% dos partos prematuros, 15% das restrições de crescimento intra-uterino (RCIU), a acidose lática, um número significativo de casos de mortalidade infantil e outras condições. Uma vez que a pré-eclâmpsia tenha sido diagnosticada, o médico manterá um controle exaustivo da saúde da mãe e do bebê até depois da etapa do pós-parto.

Sob a supervisão médica e com o tratamento adequado, será muito complicado que a pré-eclâmpsia evolua para o estado mais grave, a eclampsia. Se a pré-eclâmpsia é tão severa que chega a complicar-se em forma de eclampsia, a mãe pode sofrer convulsões durante a gravidez ou no pós-parto.

Sem tratamento, as convulsões eclâmpticas podem resultar em coma, danos cerebrais e até a morte da mãe ou do bebê.

A eclâmpsia pode ser repetida em uma segunda gravidez?

No caso de ter sofrido pré-eclâmpsia na primeira gravidez, a probabilidade de recorrência em uma segunda gravidez aumenta até 60%. Os médicos serão responsáveis ​​por indicar a adequação de uma segunda gravidez, assim como o tratamento preventivo mais adequado a seguir.