3 grandes diferenças entre as gestações de antes e as de agora

3 grandes diferenças entre as gestações de antes e as de agora

.. comentário


Se você estiver grávida, é provável que alguma vez já passou pela sua cabeça perguntas do tipo, como foi a gestação da sua mãe ou da sua avó. As coisas mudam muito de uma geração para outra e, embora a natureza seja a mesma para todas independentemente dos anos passados da evolução humana. Os avanços tecnológicos sim que são diferentes.

As gestações de agora são iguais às gestações de antes quanto ao desenvolvimento normal do embrião, mas nós mulheres levamos de forma muito diferente. Conheça 3 grandes diferenças entre as gestações de antes e as de agora.

Diferenças das gestações de antes e de agora

1. O ultrassom

3 grandes diferenças entre as gestações de antes e as de agora
Hoje em dia, as grávidas dispõem de facilidades para ver o bebê, para saber se estão em perfeita saúde e sem qualquer deformidade ou doença. As ultrassonografias de rotina e as ecografias 3D ou 4D são incríveis, porque nos permitem ver o bebê mesmo no útero.

Mas nas gestações de 30 anos atrás não tinha como ver o bebê no útero. As mães só podiam imaginar a carinha do seu bebê e tinham que se contentar com o que o médico ouvia dos batimentos cardíacos e dizia.

Saber o sexo do bebê não era uma opção, tinham mesmo que esperar até o nascimento. Você consegue imaginar ter que esperar 9 meses para saber o sexo do seu bebê?

2. As revisões na gravidez

3 grandes diferenças entre as gestações de antes e as de agora
Hoje estamos acostumadas a ir ao ginecologista antes, durante e após a gravidez. Este médico é especializado em controlar o desenvolvimento e crescimento do bebê no útero e normalmente, com o passar do tempo, construímos uma relação de confiança com ele. Mas há 30 anos, as revisões na gravidez podiam ser feitas somente por uma parteira.

3. A participação do pai

3 grandes diferenças entre as gestações de antes e as de agora
Hoje, os homens estão mais envolvidos tanto na gravidez como no parto e aprendem tudo o que precisa para criar e cuidar dos recém-nascidos. É quase que uma obrigação que os pais do bebê acompanhem a mãe de seu filho na preparação para o parto.

Antigamente, o homem não se empenhava de verdade, pois isso era “coisa mulher” e à sociedade tampouco incentiva uma maior participação dos pais. Muitas grávidas nem sequer liam um livro de ajuda para o parto e chegavam à maternidade muito nervosa e sem praticamente noção nenhuma do que poderia acontecer.

E você, se imagina passar pelas coisas que sua mãe ou sua avó passaram em relação à maternidade? Tem algum fato curioso que sua mãe ou sua avó passaram? Compartilhe conosco.


  • ecografia de antigamente