Toxoplasmose: Causas, sintomas e tratamentos!

Toxoplasmose: Causas, sintomas e tratamentos!

.. comentário


A toxoplasmose, muito conhecida como a doença do gato, é uma doença infecciosa causada pelo protozoário Toxoplasma gondii. A toxoplasmose pode afetar o cérebro, pulmões e outros órgãos. Toxoplasmose: Causas, sintomas e tratamentos! Saiba tudo aqui.

O que é toxoplasmose

A toxoplasmose é uma doença infecciosa causada pelo parasita intracelular, chamado Toxoplasma gondii. Pode aparecer em animais, principalmente nos gatos e animais de fazenda e em humanos. Muitas pessoas podem tê-la sem saber, pode estar latente no organismo uma ou duas semanas ou ter sintomas semelhantes a outras doenças. Devemos tentar preveni-la especialmente na gravidez.

Causas da toxoplasmose

As principais causas de contrair esta patologia é o contato com animais infectados ou seus excrementos, transfusões de sangue, transplantes de órgãos ou ingestão de carne (geralmente porco ou cordeiro) crua ou mal cozida que contenha Toxoplasma.

Comer frutas, legumes ou verduras pouco lavados ou cozidos, que tenham estado em contato com esterco infectado, outro fator de risco, além da ingestão de terra com este parasita. Esta doença pode ser contraída pela ingestão de água contaminada ou manipulação de terra e plantas com o toxoplasma. Outro modo possível de transmissão é via materno-fetal na gravidez.

Toxoplasmose sintomas

A maioria dos pacientes que tem toxoplasmose são assintomáticos. As manifestações desta doença podem ser muito inespecíficas, atribuíveis a outras doenças. Podem variar dependendo de alguns fatores:

Toxoplasmose em pacientes com sistema imunológico saudável ou competente: os infectados pelo Toxoplasma podem ter febre, dor de cabeça, muscular ou garganta. Também podem sofrer inflamação dos gânglios linfáticos da cabeça e do pescoço, modificação do seu tamanho ou sensibilidade destes ao toque e coriorretinite.
Toxoplasmose em pacientes imunocomprometidos: pode se manifestar de forma similar, com dor de cabeça ou febre. Estes sintomas podem vir acompanhados de outros, como visão turva devido à inflamação na retina, convulsões e psicose. Alguns pacientes apresentam problemas de vista, fala, habilidades motoras ou pensamento.
Toxoplasmose congênita: é a transmissão ao feto de Toxoplasma gondii, previamente contraída pela mãe através da placenta. As consequências para a criança podem ser consideráveis, por isso é de grande importância a prevenção para evitar a contaminação.

Prevenção da toxoplasmose

A prevenção desta doença é possível. É aconselhável evitar comer carne mal cozida e manter uma higiene adequada das mãos na hora de cozinhar e depois de manusear excrementos de animais. As pessoas que têm AIDS, é aconselhado fazer um exame de sangue para verificar que não sofre de toxoplasmose.

Tipos

A toxoplasmose, pode apresentar diferenças dependendo do sistema imunológico do paciente ou da via de transmissão. De acordo com Regino Serrano Heranz, chefe de Medicina Interna do Hospital Universitário de Henares, a toxoplasmose pode ser:

Toxoplasmose congênita: afeta crianças, geralmente recém-nascidos que foram infectados por sua mãe.
Toxoplasmose em pacientes imunocomprometidos: são aqueles que sofrem uma alteração imunocelular, especialmente com infecção pelo vírus da imunodeficiência humana ou SIDA e síndromes linfoproliferativas e que estão sendo submetidos a um tratamento imunossupressor. A doença está ligada a uma infecção do sistema nervoso em 50% dos casos.
Toxoplasmose em pacientes imunocompetentes geralmente assintomáticos: neste caso, o parasita não apresenta grandes complicações.

Diagnóstico

O diagnóstico desta patologia pode ser obtido mediante diferentes testes, os principais são:

– Ressonância magnética do cérebro.
– Tomografia computadorizada (TC) do crânio.
– Serologia: detecção de anticorpos tipo IgG e IgM frente ao toxoplasma.
– Punção lombar: para a análise do líquido cefalorraquídeo.
– Biópsia cerebral: principalmente nos primeiros anos de AIDS para ver danos a nível cerebral.

Tratamentos da toxoplasmose

Quando o paciente não apresenta sintomas visíveis, não é necessário aplicar um tratamento porque geralmente desaparece após algumas semanas sem complicações. Somente em alguns casos é administrado o uso de antibióticos por algumas semanas.

Nos recém-nascidos com toxoplasmose se administra um tratamento diferente. É comum o uso de pirimetamina (um antimalárico sintético), ácido folínico, antibióticos e corticosteróides quando são sintomáticos.

Os pacientes com sistemas imunossuprimidos necessitam ser hospitalizados e estar sob supervisão médica, porque a infecção pode se estender ao resto do corpo, trazendo graves consequências para os afetados. Se mantém um padrão de profilaxia secundária com os mesmos antibióticos, mas a metade da dose, até que o sistema imunológico seja recuperado. É provável que precise continuar com a medicação para evitar que se reative a patologia.

Toxoplasmose na gravidez

O toxoplasma gondii pode infectar o feto durante a gravidez através da placenta, causando ao bebê conseqüências consideráveis. Em mulheres com um sistema imunológico competente, geralmente não apresenta um quadro específico de sintomas, a maioria dos casos são diagnosticados por triagem para o diagnóstico precoce.

A probabilidade de que se transmita a doença aumenta quanto mais avançada esteja a gravidez. Com 40 semanas de gestação, a probabilidade aumenta para 80% dos casos de contaminação. Toxoplasmose congênita é causada pelos seguintes sintomas:

– Tamanho anormal do cérebro.
– Febre.
– Inflamação dos gânglios linfáticos.
– Icterícia pela concentração de bilirrubina no sangue (aparência amarelada da pele e olhos).
– Erupções cutâneas.
– Anemia.
– Hematomas.
– Hepatomegalia (fígado maior) ou esplenomegalia (aumento anormal do baço).

Alguns bebês podem apresentar anormalidades no sistema nervoso que podem provocar convulsões, tônus ​​muscular, atraso das capacidades mentais ou perda de audição.

As mulheres em estado de gestação devem evitar entrar em contato com fezes de animais ou insetos que possam ter entrado em contato com fezes. É conveniente cozinhar a carne a 66°C ou congelá-la para matar o Toxoplasma. Lavar corretamente as frutas e os legumes, especialmente se eles têm estado em contato com a terra e evitar atividades de jardinaria e derivados.

Se a infecção materna ocorre e se trata antes da gravidez, ela não representa riscos para o feto. Se a infectada estiver grávida o médico administrará medicamentos para evitar o contágio. A medicação não garante que a infecção não irá ocorrer, mas diminui as consequências que possam advir para o embrião.

Os antibióticos são usuais para o tratamento de mulheres grávidas, especialmente a espiramicina que é fornecida durante a gravidez até o momento do parto, depois se trata a criança durante o primeiro ano de vida.