Insônia: o que é, causas, dicas e muito mais!!!

Insônia: o que é, causas, dicas e muito mais!!!

.. comentário


Insônia é o distúrbio do sono mais frequente na população em geral. Consiste em uma redução da capacidade para dormir, podendo se manifestar de várias maneiras que levam a diferentes tipos de insônia.

O que é insônia

Insônia é um distúrbio do sono caracterizado pela dificuldade em adormecer e manter o sono. É um transtorno extremamente comum que atinge 1 em cada 5 pessoas e que pode ser resolvido com o tratamento adequado.

Insônia de início: problemas para iniciar o sono em menos de 30 minutos.
Insônia de manutenção: Problemas para manter o sono, produzindo despertares noturnos de mais de 30 minutos, ou despertar definitivamente de maneira precoce, conseguindo um tempo total de sono escasso.

A falta de sono pode afetar negativamente a vida da pessoa que a sofre, provocando deterioração social, ocupacional ou de outras áreas importantes.

O número de horas de sono necessárias varia de uma pessoa para outra. Embora a média diária seja de 7 horas e meia, existe um intervalo que varia de 4 a 10 horas, considerando esses valores dentro da normalidade.

Dependendo do tempo de evolução, a insônia pode ser: temporária (apenas alguns dias ou semanas) ou crônica (meses ou anos).

Causas da insônia

Causas médicas:
Enfermidades metabólicas e hormonais, neurológicas, reumatológicas, digestivas, cardiovasculares e todas aquelas que podem interromper o sono por dor-fibromialgia, dores de cabeça, etc. Ou urológicas pela necessidade urgente de micção-infecções, próstata, renais. Também tem que considerar a gravidez e a menopausa.
Enfermidades psiquiátricas (ansiedade, depressão, esquizofrenia, etc.), assim como outros distúrbios do sono que contribuem para dormir menos ou pior (síndrome das pernas inquietas, síndrome da apneia do sono, parassonias, etc).

Causas externas:
Geralmente envolvem fatores ambientais que influenciam negativamente no sono: (maus hábitos de sono, uso e abuso de substâncias e medicamentos, trabalhos por turnos ou viagens freqüentes transoceânicas, etc).

Insônia primária: são aqueles casos em que não pode ser identificado uma causa clara do distúrbio. Este tipo de insônia também pode ser subdividida em diferentes tipos em função da manifestação e origem do problema:
Insônia idiopática: origina-se na infância e parece relacionada a um aprendizado incorreto do hábito de dormir.
Percepção do sono reparador: estudos laboratoriais não corroboram os problemas de sono que o paciente percebe subjetivamente, estando cansado e sonolento durante o dia.
Insônia psicofisiológica: caracterizada por um nível elevado da activação psicofisiológica associada ao início do sono. A pessoa que a sofre, geralmente, manifesta uma grande preocupação com o problema de sono fazendo grandes esforços para tentar dormir todas as noites, mesmo se dorme sem dificuldade quando não realiza este esforço, geralmente melhora quando dorme em diferentes ambientes ao habitual e embora muitas vezes sobe por coincidir com um período de estresse, mantém o problema por um longo tempo, mesmo se o estresse desaparecer.

Independentemente da causa que a origina, a insônia pode ser:

Transitório: se ocorrer durante um curto período de tempo inferior a um mês.
Crônica: se durar além de seis meses, podendo durar anos.

Se a insônia é secundária a uma causa identificável, devemos intervir principalmente nessa causa para resolver o problema do sono. Às vezes, embora se trate da causa inicial do problema, é mantida porque o paciente está imerso em um círculo vicioso do qual é difícil ele sair sozinho. É o círculo em que a ansiedade por tentar dormir reduz a possibilidade de adormecer, aumentando a apreensão e o medo da cama. Parece que algumas características de personalidade fazem algumas pessoas mais vulneráveis ​​a entrar nesse círculo (pessoas com tendência a preocupação, que tendem a ter mais ansiedade e dificuldades para ver o lado positivo das coisas, perfeccionistas e exigentes, que tende a ter tudo sob controle e que geralmente não falam sobre seus problemas interiorizando as emoções negativas).

Insônia: o que é, causas, dicas e muito mais!!!

O que podemos fazer para enfrentar a insônia?

Pelo que vimos anteriormente, para poder quebrar esse círculo, é importante mudar os fatores que estão contribuindo para perpetuar a insônia. Quer dizer, mudar os hábitos inadequados, que inicialmente surgiram como uma tentativa de aliviar seus efeitos negativos, mudar os pensamentos errôneos que aumentam a preocupação e reduzir a alta ativação emocional associada a essas variáveis.

Essa intervenção custa três componentes, mudança de comportamento, mudança de pensamento e redução da ativação.

Dicas para acabar com a insônia

– Limite o tempo que passa na cama a quantidade de horas que realmente dorme.
– Mantenha regular a hora de levantar.
– Elimine as sonecas durante o dia.
– Vá para a cama somente quando estiver com sono.
– Se não conseguir adormecer depois de 10-15 minutos tentando relaxar, saia da cama e só volte a se deitar quando estiver com sono. Repita esta operação quantas vezes forem necessárias durante a noite. Se estiver com dificuldade em se sentir sonolento, realize fora do quarto algum tipo de atividade monótona e chata que não exija concentração, nem resulte interessante para você.
– Use a cama e o quarto apenas para dormir. Não assista televisão, ouça rádio, coma ou leia na cama.
– Outra coisa fundamental é o estilo de vida: dieta, esportes, horários regulares, limitar o consumo de tabaco e bebidas alcoólicas.

Medicamentos

Você deve evitar tomar medicamentos sem receita médica. Cada caso deve ser individualizado, valorizando os benefícios do tratamento, se isso for realmente indicado. No Instituto do Sono, eles procuram não prescrever hipnóticos, exceto em casos excepcionais.