Conjuntivite em crianças: infecciosa e alérgica

Conjuntivite em crianças: infecciosa e alérgica

.. comentário


A conjuntivite em crianças é muito comum. Mas nem sempre se trata de um transtorno de origem viral ou bacteriana e portanto, contagiosa, mas sim que, em alguns casos, é devido a uma sensibilização alérgica. Qual é o tratamento em cada caso?

A conjuntivite é uma doença muito comum durante a infância. Pode ter causas diferentes e portanto, diferentes tratamentos. Em que consiste e como deve ser tratada de acordo com a causa que a origina? Tire todas as dúvidas a seguir.

O que é conjuntivite?

A conjuntivite é a infecção ocular mais comum em crianças e consiste na inflamação da conjuntiva, um tecido muito fino que cobre a parte branca do olho e o interior das pálpebras. Pode chegar a ser muito contagiosa, afetando, especialmente, as crianças que freqüentam o berçário, pois o contato próximo que eles têm entre si os torna muito propensos a contrair infecções causadas por diferentes germes.

No entanto, a conjuntivite não é sempre uma doença bacteriana ou viral. Em alguns casos, a “culpa” não é do berçário e portanto, não é contagiosa, mas sim um problema devido a uma sensibilização alérgica.

Conjuntivite em crianças

Conjuntivite viral e conjuntivite bacteriana

A conjuntivite viral e a conjuntivite bacteriana são conjuntivites infecciosas, ou seja, podem ser causadas por um grande número de vírus e de bactérias, por isso que a criança pode ter esta doença ocular várias vezes.

Os sintomas da conjuntivite infecciosa são os seguintes:

– Abundante secreção amarelada no interior do olho que, ao acumular-se, especialmente pela noite, faz com que as pálpebras fiquem pegajosas e com remelas.
– A esclerótica (parte branca do olho) adquire uma cor vermelha intensa.
– As vezes, também ocorre um irritante ardor nos olhos.
– Também é comum que as crianças afetadas por conjuntivites infecciosas apresentem, ao mesmo tempo, infecções nas vias respiratórias altas, como otite ou bronquite.

As conjuntivites infecciosas são muito contagiosas e dificilmente podem ser prevenidas. O contágio ocorre por contato (direto ou indireto) com as secreções do olho afetado. Para reduzir a transmissão da doença, é importante levar em conta algumas normas de higiene, como lavar as mãos depois de tocar a criança e usar diferentes toalhas ou panos para limpar os olhos da criança.

Conjuntivite alérgica

Neste caso, a conjuntivite não é causada por um vírus ou por uma bactéria, mas se trata de uma sensibilização alérgica.

Os sintomas da conjuntivite alérgica são os seguintes:

– Não são produzidas as remelas pegajosas e amareladas típicas da conjuntivite infecciosa em crianças, mas há uma coceira irresistível, inchaço das pálpebras e lacrimação abundante.
– Estes sintomas são acentuados em contato com agentes alergênicos, como a poeira, o pólen, a poluição, o pelo dos animais, etc.

Para tratar a conjuntivite alérgica, em primeiro lugar, você deve lavar os olhos da criança com uma solução fisiológica com frequência e administrar alguma medicação oral prescrita pelo pediatra, se necessário. Se com essas primeiras medidas não conseguir alcançar resultados positivos, pode recorrer ao uso de colírios especiais. Mas sempre é o pediatra que deve estabelecer o tipo de remédio, assim como o seu modo de administração.

Como limpar os olhos

Em caso de conjuntivite, a limpeza dos olhos deve ser feita da seguinte forma:

– Você deve pegar dois pedaços de gaze estéril e mergulhá-las em solução fisiológica esterilizada.
– Depois, limpe com delicadeza cada um dos olhos da criança, prestando atenção nos cantos, que é o lugar onde se destacam as secreções infectadas.
– É necessário usar uma gase diferente para cada olho, uma vez que, de outra forma, haveria o risco de transportar as bactérias de um olho para o outro, agravando o estado do que se encontra melhor.