Apendicite: O que é, causas, sintomas e tratamentos!

Apendicite: O que é, causas, sintomas e tratamentos!

.. comentário


A apendicite é uma inflamação do apêndice, trata-se de um pequeno órgão localizado no lado direito do abdômen. Confira aqui tudo sobre apendicite: O que é, causas, sintomas e tratamentos!

O que é apendicite

O apêndice está localizado perto do ponto onde se unem o intestino delgado e o cólon e, por vezes, pode ser infectado. A sociedade já se encontra familiarizada com esta enfermidade: não é uma condição comum, mas requer um tratamento cirúrgico chamado apendicectomia para a remoção do apêndice. Em geral, o procedimento é seguido por um breve período de recuperação.

A apendicite é causada por uma inflamação do apêndice.

Causas da apendicite

O apêndice produz constantemente muco que se mistura com as fezes. O problema que se planta é que é o único órgão do trato intestinal que não tem saída, de modo que qualquer obstrução na drenagem do muco faz com que se acumule e, portanto, se produza uma dilatação no apêndice.

Na medida em que vai se expandindo o tamanho do apêndice, vai produzindo a compressão dos vasos sanguíneos e a necrose das suas paredes. Este processo pode progredir até que ocorra a ruptura do apêndice.

As causas desta obstrução pode ser:

– Aumento dos tecidos linfáticos por infecção viral ou bacteriana.
– Obstrução por outras circunstâncias mais complexas: tumores ou vermes intestinais.

Sintomas de apendicite

Os sintomas dessa enfermidade podem ser muito variados, embora difíceis de detectar em crianças pequenas ou mulheres em idade fértil.

O primeiro sintoma é mais perceptível é a dor abdominal. Esta dor começa sendo leve para passar progressivamente a aguda e grave. Normalmente, na medida em que vai aumentando a inflamação do apêndice, a dor tende a mover-se até a parte inferior direita do abdômen a um local específico do apêndice denominado ponto de McBurney.

Esta dor abdominal tende a piorar ao realizar atividades como caminhar ou tossir, por isso o paciente precisa de repouso para evitar assim os surtos repentinos de dor.

Quanto aos sintomas posteriores, estes podem ser:

– Calafrios.
– Vômitos.
– Tremores.
– Obstipação ou diarreia.
– Náuseas.
– Falta de apetite.
– Febre.

Prevenção da apendicite

As principais medidas para prevenir a apendicite se baseiam em:

Levar uma dieta rica em fibras, que facilitam um maior movimento no processo digestivo. Entre os alimentos recomendados se encontram a maioria das frutas e dos legumes, e, especialmente os cereais integrais.

Durante o processo de tratamento e, especialmente nas fases iniciais, é importante a ingestão de antibióticos que previnem a proliferação dos microrganismos no trato digestivo, que são responsáveis ​​por infecções e desta maneira prevenir o agravamento da enfermidade.

Evite o estresse e mantenha um descanso adequado.

Tipos de apendicite

Dentro da patologia, o paciente pode passar pelos seguintes estágios:

Apendicite catarral: Quando ocorre a obstrução da luz apendicular se acumula a secreção mucosa e agudamente distende o apêndice. O aumento da pressão intraluminal produz uma obstrução venosa, o acúmulo de bactérias e a reação do tecido linfoide.

Apendicite flegmonosa: A mucosa começa a apresentar pequenas ulcerações ou é completamente destruída sendo invadida por enterobactérias.

Apendicite necrótica: Quando o processo flegmonoso se torna intenso e ocorre uma distensão do tecido.

Apendicite perfurada: Neste caso, as perfurações pequena passam a ser grandes.

Diagnóstico de apendicite

O diagnóstico é baseado na clínica: nos sintomas e nos sinais que descrevem o paciente. A dor abdominal é a mais característica, mas também existem outros sintomas que dão pistas sobre uma possível apendicite: náuseas ou vômitos que acompanham o quadro de apendicite aguda em mais da metade dos casos. No entanto, tenha em mente que estes quadros também se observam em outras enfermidades, como a pancreatite.

A mudança no hábito intestinal que pode causar, por exemplo, a diarreia não é um elemento clínico a favor ou contra o diagnóstico de apendicite aguda.

Tratamentos de apendicite

Em primeiro lugar, se o caso resulta complicado ou se os sintomas pioraram, o especialista irá proceder à remoção do apêndice, logo após a detecção da enfermidade.

No caso em que uma tomografia computadorizada mostra a presença de um abscesso (acumulação de pus em qualquer parte do corpo que, na maioria dos casos, causa inchaço e inflamação ao seu redor), pode ser tratado primeiramente com antibióticos. Isso pode ter sido causado porque o paciente demorou para ir a um especialista. Neste caso, vai esperar que se produza a desinfecção e a redução da inflamação e procederá à remoção do apêndice para evitar repetições do problema no futuro.

A laparoscopia é preferível em pessoas obesas e idosas ou quando o diagnóstico ainda não é 100% confirmado na hora de realizar uma cirurgia.

Outros dados

A maioria das pessoas se recuperam da cirurgia em um curto período de tempo, desde que o apêndice não se rompa durante a cirurgia. Neste caso, poderia causar uma peritonite e demorar mais tempo.

Os exames que são realizados para detectar apendicite não são infalíveis, por isso que em alguns casos, a operação pode mostrar que o apêndice se encontra em perfeitas condições. Nesses casos, o especialista remove o apêndice e procura outra fonte de dor.